DESTAQUES DO DIA

Vestibular/UEM: estudantes entram na reta final de preparação

A uma semana do vestibular da Universidade Estadual de Maringá (UEM), os estudantes entram na reta final de preparação, de olho em uma das 2.366 vagas distribuídas em mais de 70 cursos de graduação.

A prova será aplicada no próximo dia 12, em Maringá e mais os municípios de Apucarana, Campo Mourão, Cascavel, Cianorte, Cidade Gaúcha, Curitiba, Goioerê, Ivaiporã, Paranavaí e Umuarama.

Professora há 14 anos, Renata Mantelo Lachi, 37, explica que, nos estudos, quantidade não significa qualidade. “De nada adianta passar horas ‘estudando’ se o WhatsApp não deixa de ser respondido, se o som está a todo vapor no quarto ou se a cabeça não está focada. No entanto, com certeza o vestibular da UEM é complexo, exige dedicação e constância, portanto é preciso estudar diariamente por um tempo suficiente para revisar o conteúdo a que se propôs naquele dia”.

A professora, que prepara alunos nos cursinhos para o PAS e UEM, afirma que a dedicação é recompensada e dá algumas dicas para os estudantes irem bem na prova. “Podemos começar pela rotina de estudo (um pouquinho todos os dias), busque recursos que prendam sua atenção e facilitem seu aprendizado (vídeos, músicas, macetes etc.), na hora de estudar esteja antenado aos acontecimentos, a prova da UEM exige conhecimentos que vão além da teoria dos livros didáticos, então leia sobre tudo, assista ao noticiário, busque sempre informações, faça simulados para treinar, isso pode trazer tranquilidade na hora da prova, pois o aluno conhecerá o formato da prova, saberá o tempo necessário para cada etapa, por fim é importantíssimo cuidar da saúde física e mental”.

Crédito: Ilustrativa/Unplash

Ana Luisa de Freitas, 17 anos, tem quase certeza que vai prestar o vestibular para o curso de Direito e avalia que os conteúdos na prova da UEM são bem específicos e extensos. A estudante comenta que sua rotina de estudos começou há alguns anos e desde então se dedica diariamente em tempo integral. “Eu iniciei minha rotina de estudos no nono ano quando começou a pandemia. Eu aproveitei que estava em casa para conseguir estudar o máximo possível para o outro ano que ia ter a primeira fase do PAS”.

Já Rafael Marques de Lima, 17 anos, vai prestar o vestibular para Arquitetura e Urbanismo. Ele acredita que o formato que a UEM usa no vestibular e no PAS, que são as questões somatórias, pode parecer assustador e difícil à primeira vista, mas à medida que você pratica e se acostuma, acaba ficando mais fácil. “Eu, particularmente, prefiro as questões somatórias da UEM às de múltipla escolha. Nunca podemos confiar na sorte, a dedicação é crucial para um bom resultado. Além disso, o vestibular da UEM tem muito a ver com estratégia. É muito importante saber quando arriscar e quando não, afinal, marcar uma alternativa errada zera a questão toda. Minha estratégia é arriscar nos assuntos que eu domino e ser mais cauteloso no que eu não tenho tanto conhecimento. Assim, eu consigo zerar menos questões e até gabaritar mais”.

“Podemos começar pela rotina de estudo (um pouquinho todos os dias), busque recursos que prendam sua atenção e facilitem seu aprendizado (vídeos, músicas, macetes etc.), na hora de estudar esteja antenado aos acontecimentos, a prova da UEM exige conhecimentos que vão além da teoria dos livros didáticos, então leia sobre tudo, assista ao noticiário, busque sempre informações, faça simulados para treinar, isso pode trazer tranquilidade na hora da prova, pois o aluno conhecerá o formato da prova, saberá o tempo necessário para cada etapa, por fim é importantíssimo cuidar da saúde física e mental”

Dificuldade
No caso de Myllena Correa, 17 anos, a preparação busca uma vaga em Medicina da UEM, destacando o quão difícil é a prova e como é seu dia a dia de preparação. “Tem que ter muito preparo para conseguir passar, eu estudo todos os dias no meu tempo livre do trabalho e alterno entre assistir aulas e resolver questões dos últimos anos. Estudei durante o ano passado todo, descansei no fim de ano e voltei no começo de janeiro. Tento me organizar para conseguir estudar e descansar já que os dois são importantes, é ótimo para cumprir os objetivos do dia e até mesmo do mês, para isso utilizo a plataforma do cursinho que faço”.

E, para o estudante Maurício Júnior dos Santos Pereira, 16 anos, o vestibular da UEM trabalha de uma forma em que confunde o aluno. “Muitas vezes você sabe mais da metade da questão, só que por conta de uma alternativa que você ficou meio confuso (marcou ou deixou de marcar), ou você perde a questão inteira ou fica com nota muito baixa, por conta das notas parciais”.

O estudante conta que aproveita seu tempo de estudo em sala de aula e em casa, revisa os conteúdos que tem maior dificuldade, estudando duas horas por dia e focando em resolver exercícios. Ele salienta ainda que no vestibular da UEM, além de dedicação, precisa estar em um dia de sorte e emocionalmente preparado. “A nota que você tira no vestibular não tem nada a ver com a sua inteligência ou tudo que você estudou, às vezes só estava em um dia ruim. Muitas vezes você sabe o que tem que fazer, como fazer, só que você não está para lidar com a pressão do momento. Mais importante do que entender as matérias e conteúdo é entender você mesmo”.

Maurício relata que a melhor forma de aproveitar o seu estudo é começar e terminar um determinado conteúdo, colocando como meta um tempo para isso e dando alguns intervalos. “Quando eu canso, eu vou dar uma caminhada ou jogo vídeo game depois eu volto e acabo”. O aluno destaca também que se sacrificou no ano passado para chegar nesse momento bem preparado. “Muitos hobbies que eu amava eu tive que sacrificar a troco disso e olha que eu nem tenho aquelas rotinas de estudos meio absurdas, de cinco horas por dia. Eu estudava duas horas, não é muita coisa e não é sempre que consegue, você não precisa estar bem todo dia”.

Serviço

Para mais informações, acesse o site do vestibular, AQUI