DESTAQUES DO DIA

Servidores municipais rejeitam proposta da prefeitura e iniciam mobilização permanente

Durante a 3ª assembleia da Campanha Salarial 2023, convocada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), na noite desta quarta-feira, 1º, nas dependências da Câmara Municipal, os funcionários da prefeitura rejeitam a contraproposta enviada pela administração Ulisses Maia (PSD)/Edson Scabora (MDB).

A assembleia contou com a presença massiva de centenas de servidores de todas secretarias, autarquias e da Câmara. De início, a comissão de representantes realizou breve explanação sobre a reunião de negociação realizada na manhã do mesmo dia no Paço Municipal. Na sequência, o dirigente Gehélison Gomes apresentou dados a partir de cálculos realizados juntamente de servidores de carreira lotados na Secretaria da Fazenda, para comprovar que há margem para reajuste acima dos 5,71%, primeira proposta da administração municipal rejeitada pela categoria. Com a análise feita de forma aprofundada e acompanhada por todos os presentes, a direção do Sismmar contrapôs o governo municipal que ainda se mostra relutante em aprovar as propostas aprovadas pelos trabalhadores na primeira assembleia da Campanha Salarial 2023.

Diante da comprovação de que os números da Prefeitura não correspondem aos cálculos realizados pelo sindicato e pelos servidores da Fazenda, a categoria mostrou que está disposta a brigar pelo ganho real e não apenas receber o repasse da inflação. Foram abertas falas para que os presentes apresentassem os respectivos posicionamentos para que uma nova proposta fosse construída. Ao final dos debates, foi aprovado o pedido por um reajuste de 10% nos salários.

Servidores
A opção por rejeitar a contraproposta da prefeitura foi de praticamente todos os participantes da assembleia Foto: Matheus Gomes

A categoria também aprovou o chamado do sindicato para a 4ª assembleia da Campanha Salarial, agendada para o dia 14 de março. Como proposta apresentada para somar a esta discussão, também houve a aprovação de início de mobilização permanente dos servidores pela valorização da categoria e, caso não tenha nenhum avanço por parte da administração municipal, os servidores vão apreciar a proposta de indicativo de paralisação.

As demais propostas da Campanha deste ano não sofreram alterações e seguirão em negociação com representantes dos trabalhadores e a Prefeitura.