PARANÁ

Paraná mantém segurança reforçada no segundo turno para eleição mais tensa da história

O governo do Paraná e o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) vão manter o esquema de segurança neste domingo (30), quando será realizado o segundo turno da eleição presidencial mais tensa desde a redemocratização do país, entre Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Serão 7,5 mil policiais militares, além de agentes da Polícia Civil, da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal (PF). O TRE-PR vai manter 154 seguranças particulares nos cartórios eleitorais.

A Operação Eleições para o segundo turno será coordenada a partir do Centro Integrado de Comando e Controle Regional, no Centro Cívico. Segundo o secretário de estado da Segurança Pública, Wagner Mesquita, o esquema será o mesmo do primeiro turno. No dia 2 de outubro, data do primeiro turno, 91 crimes eleitorais foram registrados no estado, que ficou atrás apenas de Minas Gerais, com 97 ocorrências.

“Nossa atuação será a mesma, uma vez que a operação para o primeiro turno foi efetiva e sem grandes intercorrências”, disse Wagner Mesquita ontem à tarde. “O Centro Integrado de Comando e Controle Regional ficará responsável pela coordenação de toda a ação e, nas ruas, contaremos com a atuação de policiais de todas as instituições estaduais, municipais e federais que compõem a operação de forma integrada”, disse.

O foco é combater crimes eleitorais, como propaganda de boca de urna, em locais próximos às seções eleitorais, vias públicas e estações de transporte. De acordo com a Polícia Militar, cada local de votação do estado terá entre um ou dois policiais e uma viatura a uma distância máxima de 100 metros.

Prontidão
De acordo com Wagner Mesquita, 7,5 mil agentes de segurança trabalharão no domingo no estado. A PRF tem 89 pontos mapeados em locais de votação perto de rodovias e a PM manterá as tropas especiais de prontidão para atuar, caso necessário, nas regiões próximas ao TRE-PR, no bairro Prado Velho.

“As forças de segurança paranaenses estão preparadas para qualquer incidente que possa ocorrer. Ao todo, contaremos com a atuação de mais de 7.500 policiais, além de um efetivo de contingência, que será acionado somente em caso de necessidade”, afirmou Mesquita. Segundo o secretário, aeronaves e embarcações estarão de prontidão para casos de necessidade.