DESTAQUES DO DIA

Morre o compositor Ryuichi Sakamoto, ganhador do Oscar pela trilha de “O Último Imperador”

O mundo da música amanheceu de luto neste domingo, 2, ao saber da morte do compositor, pianista e ator Ryuichi Sakamoto, autor de de trilhas sonoras de filmes como “O Último Imperador” e “Furyo – Em Nome da Honra”, ganhador do Oscar, Grammy e Globo de Ouro.
O compositor de 71 anos, que era amante da música brasileira, gravou um disco só com músicas de Tom Jobim, gravou com Marisa Monte, Paula Morelembaun e Jaques Morelembaun, era amigo dos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, foi diagnosticado com câncer pela segunda vez em 2020. Em sua última vinda ao Brasil foi entrevistado no programa “Conversa com Bial”, da Globo. Antes ele foi entrevistado no “Programa do Jô”, de Jô Soares.

Ryuichi Sakamoto com Caetano Veloso
O compositor japonês era amigo de vários músicos brasileiros, como Caetano Veloso Foto: Arquivo

A morte, na realidade, aconteceu terça-feira, 28, mas só foi divulgada pela família na manhã deste domingo.

Sakamoto, que descreveu o músico clássico Claude Debussy como seu herói, estudou etnomusicologia na Universidade Nacional de Belas Artes e Música de Tóquio.

Além do trabalho solo, Sakamoto também era conhecido por seu trabalho com a pioneira banda de música eletrônica Yellow Magic Orchestra (YMO), da qual foi um dos fundadores.

Ao lado de seus colegas Haruomi Hosono e Yukihiro Takahashi, formou o YMO em 1978. O uso inovador de uma vasta gama de instrumentos eletrônicos trouxe sucesso doméstico e global para a banda.

A primeira trilha sonora feita por Sakamoto foi para o filme “Furyo – Em Nome da Honra”, de 1983, no qual ele também interpretou o comandante de um campo de prisioneiros de guerra, ao lado de David Bowie. A trilha venceu o Bafta, prêmio da Academia Britânica de Cinema.

Seu trabalho mais celebrado foi a trilha sonora de “O Último Imperador”, filme de 1987 no qual ele também atuou. A trilha ganhou um Oscar, um Grammy e um Globo de Ouro.