POLICIA

Integrantes do ‘rolê’ de motociclistas podem ser autuados por formação de quadrilha, diz polícia

As polícias Militar e Civil e o Ministério Público trabalham juntos para tentar identificar e punir os envolvidos no encontro clandestino de motociclistas, chamado de “Rolê”, que aconteceu na madrugada de Natal, 25, em Maringá.

Ulisses de Deus, tenente da Polícia Militar, explicou que além das infrações de trânsito, os vídeos que chegaram às autoridades mostram que o grupo praticou diversos crimes, como perturbação de sossego, desobediência, resistência e omissão de socorro. “Esses encontros sem as devidas autorizações são irregulares”, enfatizou o tenente.

Conforme o que está sendo apurado, cerca de 200 motociclistas participaram do encontro. A polícia foi avisada. Houve perseguição e vários acidentes. O mais grave deles envolve um adolescente, de 17 anos, que estaria trafegando pela contramão, com um amigo na garupa. Ele bateu de frente com um carro, no cruzamento da Avenida Brasil com a Avenida São Paulo, já no centro da cidade. O menor foi socorrido com várias fraturas. Um vídeo mostra ele participando do encontro, momentos antes da ocorrência.

Outras gravações, postadas nas redes sociais, mostram motocicletas sem placas e pilotos sem capacete. Vários deles aparecem trafegando pela contramão e realizando manobras perigosas. Na Avenida Mandacaru, um participante do “Rolê” filmou quando um idoso foi derrubado pelo grupo. O senhor participava da ceia de Natal promovida pelos manifestantes que estão acampados em frente ao Tiro de Guerra. O grupo fugiu sem prestar socorro.

Segundo a polícia, em setembro, quando uma ação semelhante foi registrada em Maringá, os organizadores foram identificados e chamados para uma conversa no Batalhão. Multas foram aplicadas e orientações repassadas a eles.