DESTAQUES DO DIA

Homem que matou a mulher, o sogro e a sogra é condenado a 86 anos e 8 meses de prisão

Já era quase 6 horas da manhã deste domingo, 3, quando o juiz Adriano César Moreira pronunciou a sentença condenando Jean Michel de Souza Barros a 86 anos e 8 meses de prisão em regime fechado pelas mortes da própria esposa, a advogada Jaqueline Marra dos Santos, de 39 anos, do sogro, Antonio dos Santos, e da sogra, Helena Marra. O julgamento, no fórum de Umuarama, teve início na manhã de quinta-feira, 29 de fevereiro, sendo o mais longo da história já realizado na Comarca de Umuarama.

Os jurados aceitaram todas as penas levantadas pela Promotoria de Justiça e levaram em consideração todas as qualificadoras presentes nos crimes, como: motivo fútil; mediante emprego de recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima; contra a mulher por razões da condição do sexo feminino (feminicídio); violência doméstica; e contra pessoa maior de 60 anos.

O triplo homicídio foi cometido no dia 8 de agosto de 2021, Dia dos Pais, na casa em que moravam Jaqueline e os pais dela. Apesar de a advogada ser casada com Jean Michel, eles moravam em casas diferentes devido às constantes desavenças. Na segunda-feira, 9, a empregada doméstica da casa, ao chegar para trabalhar, encontrou os três corpos. Antonio, Helena e Jaqueline foram mortos a facadas.

Desde o início, todos os indícios apontavam para o marido de Jaqueline. Imagens de câmeras de monitoramento do trânsito de Umuarama mostraram o carro dele fazendo o trajeto entre a casa em que ocorreu o crime e a casa em que ele morava com a mãe. As imagens mostram que o carro de Jean parou em certo ponto, ele desceu e jogou algo numa boca-de-lobo. Policiais fizeram o mesmo trajeto e encontraram na boca-de-lobo os celulares das vítimas.