PARANÁ

Ex-prefeita é condenada a 9 anos de prisão por prática de mensalinho

Foi publicada nesta terça-feira, 28, em primeira instância, a sentença judicial do caso que ficou conhecido como “Mensalinho da Regina”, condenando a ex-prefeita de Campo Mourão Regina Dubay a 9 anos de detenção. Três ex-secretários municipais da gestão de Dubay também foram condenados.

Como trata-se de sentença em primeira instância, os réus podem recorrer em liberdade.

O processo rolava na Justiça desde 2014, quando a então prefeita foi denunciada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Maringá. Segundo a denúncia, parte do dinheiro arrecadado junto aos servidores que ocupavam cargos comissionados pagou honorários de advogados que fizeram a defesa da prefeita junto à Justiça Eleitoral. Parte também foi usado na promoção de eventos religiosos.

Em sua sentença, o juiz Fabrício Voltaré, da 1ª Vara Criminal de Campo Mourão, condenou também por corrupção passiva o ex-chefe de gabinete Gilberto de Souza, o ex-coordenador-geral da prefeitura Carlos Augusto Garcia e o ex-diretor da Secretaria de Saúde Anselmo Junior Camargo, todos a 9 anos de prisão no regime fechado.

Guilherme Capelli do Nascimento e Márcia Ferreira de Melo foram condenados por falso testemunho.

As investigações do Gaeco mostraram que alguns servidores ‘devolviam’ até 5% de seus salários. “Ficou satisfatoriamente demonstrado que era o ilustre chefe de Gabinete e denunciado Raimundo Machado quem fazia o controle sistêmico dessa arrecadação, inclusive com anotações em uma lista nominal dos servidores comissionados pagantes” e que a lista tinha anotação manuscrita do valor exato de quanto cada um deles pagava, inclusive os centavos”, disse o juiz na sentença.

Regina Dubay foi prefeita de Campo Mourão de 2012 a 2016. Chegou a disputar a reeleição e terminou em quarto lugar entre os candidatos.