PARANÁ

Com pandemia, Paraná registra mais de 100 mil óbitos em um ano pela 1ª vez

CEMITERIO BOQUEIRAO

O número de mortes ocorridas no Paraná nos anos de 2020 e 2021, os anos mais críticos no tocante à crise sanitária provocada pela pandemia de Covid-19, superou a média dos anos anteriores em 33%. É o que revela um levantamento feito pelo Bem Paraná com base no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, cujos dados revelam que nos dois primeiros anos de pandemia a média anual de mortes no estado ficou em 24 mil acima da média dos cinco anos anteriores (2015 a 2019).

Conforme os dados do SIM, antes da pandemia o número de mortes no estado apresentava relativa estabilidade. Entre 2015 e 2019, por exemplo, um total de 365.626 pessoas faleceram no estado, com uma média de 73.125 óbitos por ano. Nesse período, o ano com mais mortes foi 2016 (74.740) e o ano com menos mortes foi 2015 (70.839).

Já nos dois primeiros anos de pandemia, a média anual de falecimentos no estado deu um salto de 33,34%, com 97.507 óbitos por ano. Em 2020, primeiro ano da crise sanitária, foram registrados 82.573 mortes no estado, número que no ano seguinte bateu um recorde: 112.441, no primeiro ano da história em que o Paraná registrou mais de 100 mil falecimentos.

Se compararmos, ainda, os dois anos imediatamente anteriores à pandemia (2018 e 2019) com os dois anos já em período pandêmico (2020 e 2021), temos que no primeiro biênio um total de 148.414 pessoas faleceram no Paraná, enquanto no segundo biênio o número de mortes chegou a 195.014. Uma diferença de 31,4%, com 46.600 mortes a mais no período pandêmico em relação aos anos de 2018 e 2019.

Estudo da Fiocruz aponta 190 mil mortes acima da média histórica no Brasil
Na semana passada, um estudo divulgado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Universidade Estácio de Sá já havia apontado que o número de mortes ocorridas no Brasil em 2020 havia superado a média dos anos anteriores em 190 mil. A pesquisa informa que morreram 1.556.824 pessoas no país naquele ano, 19% a mais do que era esperado considerando a média projetada a partir dos anos de 2015 a 2019.

O ano de 2020 foi o primeiro da pandemia de covid-19, causada pelo vírus SARS-CoV-2, o que aparece na pesquisa com o peso das mortes por doenças infecciosas e parasitárias, que superaram o esperado em 480%. Além disso, também se destacaram naquele ano as mortes por causas indefinidas, o que os pesquisadores interpretam como possíveis mortes por covid-19 em que houve dificuldade no preenchimento das declarações de óbito.

O impacto da pandemia na mortalidade não se restringe às vítimas de covid-19 e inclui também as mortes causadas pela sobrecarga nos sistemas de saúde e aquelas evitadas por mudanças de hábitos durante o isolamento social. De acordo com a pesquisa, excederam o esperado em mais de 10% as mortes por doenças endócrinas (16%), transtornos mentais (29%), doenças cardiovasculares (16%), e gravidez, parto e puerpério (27%).

Mais de 45 mil mortes no estado no período pandêmico
Conforme o mais recente informe epidemiológico da Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa-PR), mais de 45 mil paranaenses perderam suas vidas para a Covid-19 desde o início da pandemia. Ao todo, 2.740.811 pessoas foram infectadas e diagnosticadas com a enfermidade até o boletim de ontem, sendo que 45.176 pacientes vieram a óbito por causa da doença e de suas complicações.