MARINGÁ

Câmara aprova projeto para ampliar monitoramento em Maringá

Trata-se do projeto ‘Cidade Vigiada’ que visa permitir que cidadãos que tenham câmeras possam integrar as imagens à Central de Monitoramento.

Foi aprovado durante a sessão desta terça-feira, 7, em segunda discussão, um Projeto de Lei do vereador Sidnei Telles, com o objetivo de inibir a criminalidade em Maringá. Trata-se do projeto ‘Cidade Vigiada’, que, inspirado em uma iniciativa do município de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, vai permitir que os cidadãos que tenham câmeras de monitoramento em residências ou estabelecimentos comerciais, possam integrar as imagens à Central de Monitoramento do município.

O objetivo, segundo o autor do projeto, é aumentar a segurança na cidade. “As câmeras ajudam tanto a elucidar os crimes cometidos, como a inibir novos casos”, explica o vereador. De acordo com o texto, que foi aprovado por unanimidade, a única exigência é que as câmeras tenham alta definição, para sejam compatíveis ao sistema já implantado pela Secretaria Municipal de Segurança Pública.

Também é necessário que as imagens mostrem apenas áreas externas, sendo vetada a cessão de imagens do interior de residências ou ambientes de trabalho. Os custos para fazer a integração das imagens ficará a cargo do Poder Público. “Este é um projeto de interesse mútuo, uma vez que tanto a comunidade, como a gestão municipal, são beneficiadas com mais segurança”, afirma.

De março a outubro de 2022, Sidnei Telles protocolou cinco requerimentos à prefeitura pedindo esclarecimentos sobre questões de segurança pública, o que demonstra o compromisso do vereador com esta demanda tão urgente da comunidade. “Além de esclarecimentos sobre licitação e instalação de câmeras de monitoramento, solicitei o uso de drones pela Guarda Municipal, Vigilância na Praça da Catedral e mais iluminação no cemitério, também participei de várias reuniões com Associações de Moradores e de Audiência Pública para buscar soluções para as questões de segurança”, diz.