MARINGÁ

Bolsonaristas tomam as ruas de Maringá em protesto contra o resultado da eleição presidencial

Milhares de veículos – tanto carros baixos quanto caminhões – estão circulando pelas ruas e avenidas de Maringá buzinando, soltando rojões e com bandeiras do Brasil em um protesto contra o resultado da eleição de domingo, que terminou com o petista Luiz Inácio Lula da Silva eleito para seu terceiro mandato e decretou Jair Bolsonaro (PL) como o primeiro presidente do Brasil a não conseguir se reeleger desde que foi implantado o instituto da reeleição para cargos executivos.

Atos semelhantes acontecem simultaneamente em várias cidades brasileiras, na maioria dos casos com início em frente a quartéis, onde manifestantes gritaram palavras de ordem contra o resultado da eleição, contra o presidente eleito e contra o Poder Judiciário, principalmente o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Supremo Tribunal Federal (STF), além do ministro Alexandre de Moraes, que virou alvo dos bolsonaristas desde a eleição de Jair Bolsonaro, há quatro anos, afirmando que querem golpe militar. Em muitos casos também foi hipotecado apoio a caminhoneiros que estão impedindo o trânsito de veículos em estradas de todo o País.

Os veículos embandeirados circularam pela cidade e chegaram a causar problemas de trânsito em algumas regiões, mas foi perdendo força na medida em que a tarde avançou.